skip to Main Content

Quais os tipos de estoque e como escolher o ideal para o seu e-commerce?

Ainda não sabe a importância de conhecer os tipos de estoque? Então, imagine perder oportunidades de venda porque não há mais unidades disponíveis daquele produto que é o carro-chefe do seu e-commerce?

Situações como esta podem prejudicar a lucratividade do seu negócio e abalar a credibilidade da sua marca.

Agora você pode pensar que a solução seria ter um estoque extremamente abastecido, porém não é bem por aí. Armazenar muitos produtos custa caro e você ainda pode acabar com diversos itens encalhados.

A melhor forma de evitar situações prejudiciais para o seu negócio é por meio de uma gestão de estoque eficiente.

Já para um bom gerenciamento, o primeiro passo é conhecer os tipos de estoque e suas funcionalidades para encontrar o ideal para seu e-commerce. Então, vem com a gente que te explicaremos tudo sobre o assunto!

Melhore seu processo de trocas e devoluções

Afinal, o que é estoque?

Antes mesmo de falarmos sobre os tipos de estoque, é importante que a definição do que é estoque esteja clara em sua mente.

Estoque é o termo utilizado para definir o conjunto de produtos acabados disponíveis para vendas e as matérias-primas necessárias para a produção de novas mercadorias.

Ou seja, são todos os materiais que a empresa utiliza para suprir suas necessidades, tanto de produção, quanto de operações e até uso próprio.

É um dos ativos mais valiosos de uma loja virtual, já que é essencial para atender as demandas dos consumidores e impulsionar o crescimento da empresa.

Qual a importância da gestão do estoque?

A gestão de estoque é o conjunto de técnicas utilizadas para controlar, armazenar e acompanhar os itens estocados. 

Por meio desse gerenciamento, é possível evitar a falta ou o excesso de mercadorias. Como vimos, ambos os casos prejudicam a sua empresa.

Trabalhar com estoques mínimos traz a necessidade de fazer compras com maior frequência. Se seu fornecedor atrasar ou houver um aumento inesperado de demanda, você não terá como atender seu público e perderá vendas.

Por outro lado, estoques maiores que o necessário podem resultar em itens parados por um grande período de tempo, o que gera gastos de armazenamentos e até prejuízos financeiros.

Portanto, a gestão de estoque é essencial para equilibrar as compras, garantir a continuidade das operações da sua loja e otimizar os recursos disponíveis. Tudo isso permite maximizar seus retornos financeiros!

Quais os tipos de estoque?

Quando falamos sobre tipos de estoque, nos referimos a diferentes estratégias para gerenciar os itens estocados.

Dependendo do seu ramo de atuação, alguns métodos farão mais sentido do que outros. Por essa razão, atente-se às características e funcionalidades de cada estratégia para encontrar a que melhor se adequa ao seu tipo de e-commerce.

A seguir, confira os tipos de estoque mais comuns e que podem ser utilizados em sua loja:

1. Estoque de Antecipação ou Sazonal

O estoque de antecipação, também conhecido como estoque sazonal, é um dos mais utilizados no varejo online.

Costuma ser aplicado por e-commerces que desejam manter a oferta durante os períodos de pico de demanda, o que ocorre em datas comemorativas, como:

Para aplicar esta estratégia, os empreendedores precisam prever as tendências de mercado com base em experiências anteriores.

Ou seja, o estoque pode ser antecipado de acordo com a época do ano em que os produtos da sua empresa são mais procurados, já contando que a demanda será maior futuramente.

2. Estoque Máximo

Envolve uma quantidade máxima pré-especificada de produtos a serem armazenados por um determinado período até que um novo pedido possa ser feito.

Para calcular o estoque máximo, você precisa levar em consideração a capacidade de armazenagem. Quanto o limite for atingido, não deve-se realizar novas compras.

A principal vantagem desse tipo de estoque é que ao adquirir uma quantidade elevada de itens de uma única vez, existe a possibilidade de conseguir preços e condições de pagamento melhores com seus fornecedores.

3. Estoque Mínimo

O estoque mínimo, também conhecido como ponto de ressuprimento, determina a menor quantidade a ser estocada para cada produto. Ao atingir esse limite, será necessário realizar novas compras com o fornecedor.

Esse número é previamente estabelecido de acordo com a demanda dos produtos em cada período do ano. 

O objetivo é evitar que o e-commerce fique sem mercadorias para a venda. Não trabalhar com um estoque mínimo gera um grande risco de você ficar sem nenhum produto a pronta entrega.

4. Estoque de Segurança 

Como o próprio nome sugere, esse tipo de estoque é utilizado para reduzir os riscos da loja perder vendas ou atrasar os envios por conta de algum imprevisto. 

Para aplicar, os lojistas precisam estocar todos os produtos que os clientes buscam. Assim, é possível suprir as demandas que superam os prazos de reabastecimento e garantir a satisfação do cliente.

O desafio será encontrar a quantidade exata do estoque de segurança para cada produto com objetivo de equilibrar seus investimentos e lucros.

5. Estoque de Proteção ou Estoque Isolador

Esse é um dos tipos de estoque usados ​​normalmente em e-commerces robustos, como do setor alimentício e grandes varejistas. Funciona como uma precaução extra, além da que se tem com o estoque de segurança.

O objetivo é proteger as vendas e garantir a disponibilidade do produto mesmo diante de circunstâncias adversas, como preços altos, greves de transportes ou aumento repentino de demanda.

Caso algum desses problemas aconteça, o estoque de proteção será usado para abastecimento até que a situação volte ao normal ou que novos itens sejam adquiridos.

6. Estoque de Ciclo

Este é o tipo de estoque mais adequado para empresas com alta rotatividade de produtos e que precisam garantir níveis de estoque otimizados com base na demanda variável e contínua.

Para manter todos os itens à disposição dos consumidores o tempo todo, é crucial monitorar a movimentação dos produtos e definir limites mínimos e máximos para cada produto.

Dessa forma, a empresa pode evitar perdas devido a mudanças na demanda do mercado e mantém as vendas em alta.

7. Estoque de Canal ou Estoque em Trânsito

Quando você faz uma compra com um fornecedor, essas mercadorias são despachadas, mas levam algum tempo para chegar em sua empresa.

Neste método, esses itens em trânsito já são considerados parte do seu estoque, mesmo que ainda não tenham chegado.

Essa ação ajuda a ter uma visão mais precisa do seu estoque geral e dos produtos que estão armazenados.

Só é preciso ter cuidado para não vender um item que ainda está em rota de deslocamento e atrasar a entrega do seu cliente.

8. Estoque Inativo

Algum item ficou parado no estoque por não ter tido um bom desempenho de vendas e se tornou obsoleto? Essa situação é chamada de estoque inativo.

O problema está relacionado ao giro de estoque que demonstra a rotatividade de cada produto. Quanto maior a rotatividade, menor a quantidade de produtos inativos.

Para lidar com a situação, uma boa saída é realizar promoções e queimas de estoque aliadas com estratégias de marketing. Essa ação estimula as vendas e ainda aumenta o fluxo de clientes da sua loja.

Lembre-se apenas de considerar o preço do produto antes de aplicar a promoção para não ficar no prejuízo.

9. Estoque Consignado

Dentre os tipos de estoque, essa é uma das soluções interessantes para lojistas que não possuem muito espaço livre para o armazenamento ou que desejam ampliar seus canais de venda.

Nesse caso, o varejista (consignante) coloca seu produto para vender em outro estabelecimento.

O consignatário, por sua vez, fica responsável pela venda das mercadorias e recebe uma porcentagem por cada transação realizada.

Vale deixar claro que a carga do produto é transferida, mas a propriedade continua sendo da empresa. Caso o consignatário não consiga vender os itens, o estoque é devolvido para a empresa. 

10. Dropshipping

O dropshipping é um modelo de negócio em que o lojista não é responsável pelo armazenamento e envio das mercadorias, mas sim o fornecedor ou a empresa parceira.

Funciona da seguinte maneira: os consumidores compram em uma loja online, a empresa encaminha o pedido ao fornecedor que, por sua vez, envia o produto em nome da sua loja. Ou seja, funciona como uma espécie de terceirização de estoque.

Se quiser adotar esse tipo de estoque, é crucial contar com bons parceiros de negócio, que sejam capazes de responder à demanda em tempo hábil e realizar as entregas dentro do prazo.

11. Cross Docking

Funciona de maneira similar ao Dropshipping, já que também permite que a loja virtual venda sem ter produtos em estoque.

A diferença desta modalidade é que o lojista encomenda o produto com seu fornecedor apenas quando o cliente faz um pedido. Ou seja, não é o fornecedor que faz o envio ao consumidor, mas sim a loja virtual.

Em seguida, a mercadoria é enviada a um centro de distribuição, que pode ser próprio ou contratado, para preparar a encomenda ao cliente e despachá-la.

Para que os prazos de entrega não sejam muito longos e gerem insatisfação no consumidor, é crucial ter bons parceiros de negócio, tanto para fornecer o produto com agilidade, quanto para entregar suas encomendas.

Como fazer o controle de estoque?

Independentemente do tipo de estoque que você escolher para sua loja virtual, é indispensável realizar um controle eficaz dos produtos estocados.

Lembre-se que seu objetivo é suprir as demandas dos clientes e, ao mesmo tempo, minimizar os custos.

Para isso, você pode utilizar diferentes métodos, como Just in time, Curva ABC ou PEPS (primeiro a entrar, primeiro a sair). Além disso, existem também boas práticas que ajudarão nesse processo. São elas:

  • conhecer todos os itens que estão disponíveis no estoque;
  • acompanhar todos as saídas e entradas de produto;
  • garantir o abastecimento de mercadorias à sua empresa;
  • fazer inventários esporadicamente;
  • automatizar processos por meio de soluções tecnológicas, como um sistema ERP.

💡Quer se aprofundar mais no assunto? Confira nosso artigo sobre controle de estoque!

Como escolher o estoque ideal para sua loja?

A escolha do tipo de estoque depende de uma série de fatores, como o tipo de produto comercializado e o momento do seu negócio. 

Um e-commerce robusto, por exemplo, pode se beneficiar com o estoque de proteção, enquanto um uma empresa do setor alimentício pode não se adaptar ao estoque máximo, já que aumenta as chances de ter prejuízos financeiros por trabalhar com produtos perecíveis.

Também não adianta optar pelo estoque de proteção sendo que você já sabe que haverá um aumento de demanda devido por conta das datas sazonais.

Portanto, você precisa considerar as necessidades operacionais da sua empresa, avaliar a sua disponibilidade de armazenamento e considerar os custos envolvidos em cada modalidade.

Inclusive, vale lembrar que é possível trabalhar com mais de um tipo de estoque. Tudo depende da realidade do seu negócio!

Conclusão

Neste artigo, você conheceu os diferentes tipos de estoque. Agora, fica mais fácil descobrir qual a opção adequada para o seu e-commerce e, assim, otimizar recursos financeiros ao mesmo tempo que consegue atender as demandas dos seus clientes.

Vale lembrar que o estoque é um elemento vital para a sobrevivência do seu e-commerce em um mercado cada vez mais competitivo. Quando bem gerenciado, ele te ajudará a aumentar a satisfação do cliente e tornará o crescimento da empresa mais viável.

E quer saber outro fator que também contribui para elevar o nível de satisfação do seu público? Fretes mais baratos e entregas ágeis! 

Tem sido um desafio encontrar bons preços de frete e ainda garantir entregas rápidas e flexíveis? Então você precisa conhecer a calculadora de frete da Kangu.

Nós comparamos as condições de envio com diversas transportadoras simultaneamente. Além de facilitar na hora de encontrar a melhor opção para seu negócio, você tem acesso a preços e prazos exclusivos. 

Clique na imagem abaixo, pesquise e comprove a economia:

Back To Top