skip to Main Content

Como fazer um plano de negócio: 5 etapas e passo a passo

Antes de sequer pensar em abrir um empreendimento, é importante saber como fazer um plano de negócio.

O plano de negócio é a melhor maneira de evitar ser surpreendido por imprevistos. Com ele, você erra no papel ao invés de errar na vida real.

Além disso, trata-se de uma ferramenta muito importante para quem quer buscar investidores para um aporte de capital.

Confira a seguir tudo o que você precisa saber para montar um plano de negócios de sucesso e que com certeza vai impressionar os investidores:

Qual a melhor opção para sua loja virtual: MEI ou ME?

O que é um plano de negócio

Um plano de negócio é um documento que descreve como será um empreendimento, seus objetivos e os passos que devem ser dados para alcançá-los.

Neste documento, é possível demonstrar a viabilidade de um empreendimento sob diversos pontos de vista, como o estratégico, mercadológico, operacional e financeiro, por exemplo.

Para colocar em poucas palavras, o plano de negócios é um mapa que mostra os caminhos a serem percorridos por uma empresa para que ela dê certo. 

Contudo, é preciso que você tenha em mente que um plano de negócios não é um conjunto de ideias e especulações.

Na verdade, trata-se de um documento que deve ser escrito a partir de uma análise e pesquisa de mercado bem feitas, com informações, análises e dados reais que irão te ajudar a ter insights no momento da criação do negócio.

Por que fazer um plano de negócio para sua empresa?

Em poucas palavras: porque errar no papel é muito melhor do que errar na vida real.

Como vimos, o plano de negócios é feito com base em análises, pesquisas e dados reais que mostram a viabilidade de um negócio. Ou seja, através de um plano de negócio, você terá uma noção melhor sobre a viabilidade do seu projeto.

Com o plano de negócio, você terá uma noção mais clara de como o seu empreendimento vai funcionar dentro da lógica de mercado, de questões mais técnicas para o funcionamento, do investimento e projeção de retorno financeiro entre outras coisas.

Com um plano de negócios em mãos, você consegue:

  • Elaborar a simulação de cenários favoráveis e desfavoráveis;
  • Se preparar para adversidades, já que conhecer quais são os possíveis problemas torna a resolução desses problemas mais fácil;
  • Organizar e alinhar informações com os sócios;
  • Realizar um acompanhamento comparativo;
  • Comparar o que foi previsto nele com o resultado real;
  • Identificar erros e corrigir desvios.

Além disso, com um bom plano de negócios em mãos, você consegue apresentar o seu projeto para investidores e conseguir investimentos.

O que é necessário ter em um plano de negócio

Em primeiro lugar, você precisa de uma boa ideia. É através dela que você vai coletar as informações para verificar se há viabilidade ou não; São elas:

  • O histórico do projeto;
  • Uma descrição do produto ou serviço;
  • Um panorama do mercado e da concorrência;
  • Ações comerciais e de marketing;
  • Descrição do público alvo;
  • Definição de metas;
  • Detalhes da operação (como ela vai acontecer, aonde, etc);
  • Investimentos necessários inicialmente;
  • Custo operacional mensal;
  • Retorno esperado ao longo dos meses;
  • Projeções financeiras;
  • Recursos humanos necessários;

Através dessas informações, você vai conseguir fazer a análise de mercado e os planos de marketing, operacional e financeiro.

Além dessas informações, você também vai ter que fazer a matriz FOFA do seu negócio, uma análise da Força do seu negócio, das Oportunidades, de suas Fraquezas de suas Ameaças – também conhecido como análise de SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats).

Com isso, já é possível bolar um plano de negócios bem completo e com potencial, inclusive, de chamar a atenção de possíveis investidores.

Quem deve criar o meu plano de negócios?

Você mesmo! Se você tem uma ideia de empreendimento e quer botar a mão na massa, primeiro deve fazer um plano de negócio. E você não precisa de nenhuma outra pessoa que faça ele por você.

Como você verá a seguir, fazer um plano de negócios não é uma tarefa de outro mundo. É muito mais fácil do que as pessoas imaginam.

Só é preciso uma boa dose de esforço e dedicação para conseguir todas as informações necessárias para que seu plano de negócio seja completo e bem estruturado.

Como fazer um plano de negócio passo a passo

A primeira coisa que você vai fazer é correr atrás das informações necessárias para montar um plano de negócios – análise de mercado, custos operacionais matriz FOFA (SWOT), etc.  

É a partir dessas informações que você vai verificar a viabilidade de um projeto e então construir o plano de negócio.

Por exemplo, caso você queira lançar um novo produto, você deve ter as informações sobre a descrição deste produto, como materiais, custo de produção, custo de matéria prima, etc.

Já se você planeja fornecer um serviço, você deve ter cálculos de custo e produtividade, para que possa calcular em quanto tempo você paga o investimento inicial.

A partir dessas informações, então você deve fazer uma análise de mercado, onde você vai verificar o panorama de mercado e da concorrência, bem como seus preços.

Assim, você pode verificar se vai ter de comprometer o seu lucro para oferecer preços mais competitivos e em quais ações de marketing específicas é mais vantajoso investir.

Por exemplo, ao fazer essa pesquisa de mercado, você pode ver que a sua concorrência vende muito pelo Instagram.

Com essa informação em mãos, você pode ser que você conclua que é necessário investir no Instagram também para conseguir competir em pé de igualdade.

Agora é só montar o plano. Existem vários modelos disponíveis gratuitamente na internet que você pode utilizar para montar um plano de negócios.

Entretanto, podemos dizer que um plano de negócio normalmente é dividido em etapas. São elas:

  • Plano de Marketing;
  • Sumário executivo;
  • Plano Operacional;
  • Análise de Mercado;
  • Plano Financeiro.

As etapas de um plano de negócios

Como vimos anteriormente, um plano de negócios normalmente é dividido em etapas. Veja a seguir o que quer dizer e como fazer cada uma dessas etapas:

Sumário Executivo

O sumário executivo é o que abre o plano de negócios É um resumo de todas as informações que virão mais detalhadas à frente.

Por essa razão, ela normalmente é a última parte do plano de negócios a ser feita quando sentamos para fazer um.

É importante que ele não ultrapasse a marca de 2 páginas, por isso, é essencial colocar somente as informações mais importantes aqui.

Entretanto, existem alguns itens que são indispensáveis:

  • Conceito do negócio: o que a empresa faz, vende, em qual mercado e seus diferenciais;
  • Características financeiras: características contábeis, como lucro, vendas, retorno sobre investimento, fluxo de caixa, etc;
  • Requisitos financeiros: de quanto aporte a empresa vai precisar para começar a operar de maneira eficiente.

Para empreendimentos que já estão no mercado, o sumário executivo também deve conter as seguintes informações:

  • Posição comercial atual: um histórico da empresa com suas características gerais, principais funcionários, proprietário, sócios etc;
  • Principais realizações: histórico da empresa, projetos desafiadores, resultados de marketing, patentes e o que mais for importante.

Além disso, você deve fazer uma descrição da empresa. Nela, você deve colocar:

  • O nome da empresa;
  • O tipo jurídico da empresa;
  • Propriedades e ativos intangíveis;
  • Objetivos e indicadores;
  • Como a empresa obterá lucro;
  • Características do mercado;
  • Pontos fortes e principais competências da empresa.

Se você está fazendo o seu plano de negócios para convencer investidores, é interessante que você deixe claro para o investidor as vantagens que ele terá ao colocar dinheiro no empreendimento.

Análise de Mercado

Na Análise de mercado, você deve expor quem são os clientes, concorrentes e fornecedores e oferecer quais são os produtos e serviços que você vai oferecer.

Aqui, também é importante definir o seu público-alvo e como chegar a ele da melhor maneira possível. É uma forma de economizar recursos e dar um tiro certeiro no seu objetivo.

Depois de traçar o seu público alvo, você deve pensar no posicionamento do seu produto. Ou seja, você deve fazer perguntas como:

  • Como meu produto será visto pelo mercado?
  • É um produto com boa qualidade e bom custo-benefício?
  • O preço do produto está muito acima da média ou seu diferencial é o preço baixo?

Essas informações vão traçar um retrato do mercado e indicar se a empresa está indo na direção certa para atrair os futuros clientes.

Os resultados dessas perguntas devem ditar quais ações de promoção e marketing sua empresa vai precisar fazer para conquistar o público logo no início da sua atuação.

Plano de Marketing

No plano de marketing, você vai utilizar as informações coletadas na análise de mercado para definir os locais de promoção do seu produto ou serviço.

É importante que você saiba muito bem o valor do seu produto, tanto no preço quanto na qualidade, pois isso vai te ajudar a tomar algumas decisões específicas na hora de anunciá-lo.

No fim das contas, conhecer bem o que está vendendo é a melhor forma de convencer outras pessoas a comprar. 

Plano Operacional

O plano operacional nada mais do que o “como fazer” do plano de negócios. Ele descreve como a empresa está estruturada (localização, instalações físicas, equipamentos, etc).

Aqui também entram estimativas acerca da capacidade produtiva ou de quantos clientes consegue atender por mês, além de traçar a quantidade de funcionários e suas respectivas tarefas e metas de produtividade.

Plano Financeiro

Por fim, no plano financeiro, você deve descrever quanto deve investir para concretizar o seu negócio. Por isso, o documento deve conter:

  • Estimativas de custos iniciais;
  • Despesas e receitas;
  • Capital de giro;
  • Fluxo de caixa;
  • Lucros.

É importante que você apresente cada um desses itens com detalhes, etapa por etapa. Isso vai te oferecer um panorama inicial de operacionalização do negócio e te ajudar a evitar desperdícios e otimizar as rotinas.

Também é importante que você se atente a alguns detalhes, como os custos pré-operacionais. Você deve identificar o que será necessário adquirir para que a empresa seja aberta. Trata-se de custos como aluguel, reforma, taxa de registo, etc.

Além disso, você deve fazer uma lista de equipamentos, como ferramentas, veículos e demais elementos necessários para a empresa funcionar. Isso faz parte dos investimentos fixos.

Observe a necessidade imediata de cada item ou até mesmo se alguns deles não podem ser alugados ou terceirizados para diminuir os seus custos.

O que incluir no plano de negócio

Existem algumas coisas que você pode incluir no plano de negócios que vão ser um diferencial. Confira a seguir o que incluir no plano de negócio:

    • Matriz FOFA (Análise de SWOT): uma rápida análise das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças do negócio;
  • Simulação de cenários: para visualizar na prática o desempenho da empresa em cenários favoráveis e desfavoráveis;
  • Análise estratégica: uma análise dos ambientes internos e externos à empresa para melhorar o desempenho da empresa no mercado;
  • Planejamento operacional: como a sua empresa vai funcionar, quantos funcionários vai precisar e como você vai realizar vendas.

Com essas informações extras, seu plano de negócios com certeza vai se destacar quando cair na mão de um investidor.

Matriz SWOT ou Matriz FOFA e como utilizá-la

A Matriz FOFA, também conhecida como Matriz SWOT ou Análise de SWOT, é uma ferramenta poderosa capaz de indicar os pontos fortes e fracos de uma empresa, bem como as melhores oportunidades e possíveis ameaças.

F.O.F.A. ou S.W.O.T. nada mais são do que siglas para “Força – Oportunidades – Fraquezas – Ameaças” ou “Strengths – Opportunities – Weaknesses – Threats”.

Na hora de preencher cada uma dessas características, você deve ter em mente a definição de cada uma delas. Veja a seguir:

    • Força (Strengths): todas as vantagens competitivas do seu negócio, como, por exemplo, uma cadeira bonita e funcional, feita com madeira reflorestada e de boa qualidade, mas com preço competitivo.
  • Oportunidades (Oportunities): as oportunidades do seu negócio, ou seja, tudo que pode ampliar o seu faturamento, como a possibilidade de usar aplicativos entregas, por exemplo, ou a capacidade de cortar custos terceirizando este ou aquele setor
  • Fraquezas (Weaknesses): os pontos fracos do negócio. Pode parecer contraintuitivo, mas descrever as fraquezas é o primeiro passo para resolvê-las.
  • Ameaças (Threats): questões que podem te fazer perder dinheiro, desde um concorrente que ofereça o mesmo produto mais barato, problemas na economia, como aumento da inflação e outros fatores que podem atrapalhar seus lucros.

Fazer uma análise da matriz FOFA é importante para te ajudar a ter uma visão mais real e profunda do seu empreendimento. É uma forma de não ter surpresas desagradáveis, já que, conhecendo seus defeitos e suas virtudes, você vai se planejar melhor.

Como apresentar um plano de negócio para investidores?

Na hora de apresentar o seu plano de negócios para um investidor, você precisa ser rápido e conciso, pois investidores normalmente não têm tempo a perder e uma apresentação rápida e convincente é o melhor que você pode fazer.

No mundo dos negócios, existe uma expressão chamada “discurso do elevador”. O discurso do elevador nada mais é do que uma apresentação rápida, um resumo de 30 segundos contando mais ou menos a ideia do seu negócio e por que é uma boa ideia investir nele.

Desenvolva um bom discurso de elevador e use-o na hora de conversar com investidores. Se o seu discurso for muito bom, o investidor com certeza vai querer levar o seu plano de negócios para casa para observá-lo em mais detalhes.

Mas lembre-se, no seu discurso de elevador você deve falar, essencialmente, 3 pontos:

  • O que você faz;
  • O problema que você resolve;
  • O seu diferencial.

Conclusão

Como vimos ao longo do texto, fazer um plano de negócios é a melhor maneira de não ser surpreendido por imprevistos e fazer o seu negócio funcionar.

Para isso, você vai precisar obter diversas informações a respeito do seu negócio e do mercado onde ele está inserido, como a análise de mercado, a análise estratégica, de custos e da concorrência.

Além disso, você vai precisar criar um plano de marketing, um plano operacional e um plano financeiro para deixar bem claro, tanto para você, quanto para os possíveis investidores quais as estimativas de lucro.

Também não se esqueça de inserir a Matriz FOFA no seu negócio. Ela é um diferencial que pode chamar a atenção de investidores.

Agora que você já sabe como fazer um plano de negócios, é hora de pôr em prática. Faça um antes de começar o seu empreendimento e você vai ver como essa ferramenta deixa o desafio de abrir uma empresa mais fácil.

E uma vez que você começar a vender, provavelmente vai precisar de uma empresa para fazer as entregas para você. Nessa hora, busque a Kangu! 

Aqui você pode escolher a opção de entrega que mais se adequa às suas necessidades e garantir praticidade para sua empresa e satisfação para os seus clientes.

Conheça a Kangu e saiba como ela pode ajudar o seu negócio

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top